sábado, 5 de fevereiro de 2011

DICA DO DIA
A sua irritação não solucionará problema algum...

As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas...
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida...
A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus...
A sua tristeza não iluminará os caminhos...
O seu desânimo não edificará ninguém...
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade...
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você...
Não estrague o seu dia.
Aprenda a sabedoria divina,A desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre...
Para o infinito bem!
(Chico Xavier)

NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
Donna, de 29 anos, vai ser mãe em breve. Seu bebê já tem 20 semanas. E ela estava extremamente apreensiva para saber se ele estava bem. Para tentar descobrir, ela fez o que naturalmente toda mãe faz: um ultrassom. E, para sua surpresa, quem disse que estava tudo bem não foi o médico, foi o próprio bebê, que fez sinal de positivo com o polegar... Donna, que é de Kent (Inglaterra), disse que ficou muito mais aliviada após ver a imagem. - A imagem foi muito clara. Nós estávamos preocupados nas duas semanas anteriores ao ultrassom, mas está tudo bem, disse ela, confiando na afirmação silenciosa de seu bebê... (contaoutra.com)

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● Uma falha na subestação Luiz Gonzaga, na divisa entre Pernambuco e Bahia, deixou oito estados do Nordeste sem energia elétrica por até cinco horas na madrugada de ontem. Ao todo, 47,7 milhões de pessoas ficaram sem luz. Segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS), cerca de 90% do Nordeste foram atingidos, no maior apagão da região. Em 2009, no maior apagão do país, só o Nordeste escapara. O blecaute irritou a presidente Dilma Rousseff, que cobrou explicações de vários órgãos e deve acelerar as mudanças no comando do setor, hoje nas mãos do PMDB.

● Num dia em que a violência não dominou as manifestações no Egito, a Praça Tahrir virou palanque político. O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, admitiu concorrer à Presidência, assim como o Nobel da Paz, ElBaradei. A repressão à imprensa continuou: morreu o primeiro jornalista que cobria os protestos.

● A polícia investiga a hipótese de cinco homicídios ocorridos na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, terem sido praticados por traficantes, apesar da presença do Exército e da PM. Entre os mortos, há dois moradores que teriam cooperado com as forças de segurança em novembro. O clima na favela é tenso.

Folha de S. Paulo

● O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou que negocia a transição de governo no Egito. Ele não confirmou, porém, a versão da mídia americana de que os EUA trabalhem para que o atual vice egípcio, Omar Suleiman, seja o substituto do ditador Hosni Mubarak. A revolta egípcia entrou no seu 11º dia com sinais de esgotamento, relata o enviado Samy Adghirni. A convocação para o protesto de ontem reuniu aproximadamente 100 mil pessoas na praça Tahrir, numero inferior ao de manifestações anteriores no mesmo local.

● O número de apagões graves, como o que acaba de atingir sete Estados do Nordeste, passou de 48 em 2008 para 91 em 2010, segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). Especialistas atribuem o aumento a falta de investimentos e ao clima adverso. O apagão de ontem afetou cerca de 33 milhões de pessoas na região e causou problemas nos serviços de água, saúde e tráfego. Edison Lobão, ministro de Minas e Energia, minimizou o incidente. Segundo ele, não é possível falar em blecaute.

O Estado de S. Paulo

● A insistência do governo em manter a política de reajuste do salário mínimo que leva em conta a inflação e o crescimento do PIB de dois anos anteriores inviabiliza um acordo com as centrais sindicais. Após três horas de reunião com os ministros Guido Mantega (Fazenda), Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) e Carlos Lupi (Trabalho) em São Paulo, sindicalistas prometeram mobilizações. “Estamos incomodados com o início do governo Dilma", resumiu Paulo Pereira da Silva, da Força Sindical.

● Cerca de 80% das áreas de Mata Atlântica do Brasil estão em propriedades privadas, o que torna o bioma mais suscetível a desmatamento. Além disso, a proposta de alteração do Código Florestal reduz a área destinada a proteção permanente.

● Uma falha no sistema de transmissão de energia deixou 46 milhões de pessoas sem luz em oito Estados do Nordeste. A interrupção começou por volta de 0h30 de ontem e provocou caos em serviços públicos e hospitais, além de paralisar por 12 horas as atividades do principal polo petroquímico do País, na Bahia. O governo ainda não sabe as causas do apagão. Avaliações preliminares apontam que a subestação Luiz Gonzaga, em Pernambuco, teria parado de funcionar e provocado o efeito dominó. Ex-ministra de Minas e Energia, a presidente Dilma Rousseff se disse “preocupada" com o problema.

Jornal do Brasil

● No momento em que o Rio ganha mais uma edição do guia que aponta os melhores bares da cidade, cariocas dizem o que é fundamental e o que não pode acontecer nos redutos da boemia.

Correio Braziliense

● O blecaute que atingiu oito dos nove estados do Nordeste e deixou 40 milhões de pessoas sem luz desafia o modelo energético concebido pela gestão petista a partir de 2003. O sistema montado à época em que Dilma Rousseff era ministra de Minas e Energia enfrenta problemas de manutenção e investimentos, segundo especialistas ouvidos pelo Correio. Extremamente irritada com o apagão, que em alguns locais durou oito horas, a presidente cobrou explicações do ministro Edison Lobão e exigiu da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) maior fiscalização preventiva.

Estado de Minas

● Percentual de imóveis com focos do mosquito em BH sobe para 3,8%, quatro vezes maior do que no último levantamento, em outubro. Em 152 bairros a infestação atinge mais de 4% dos domicílios, o que significa alto risco de epidemia, entre eles Funcionários (5,05%) e Cidade Nova (4,96%). E 329 bairros estão com índice acima de 1%, que é o limite considerado tolerável.

Jornal do Commercio

● Até ontem, tudo o que a companhia sabia sobre o blecaute no Nordeste era o defeito numa pequena peça chamada de cartela. Para o ministro de Minas e Energia, sequer houve apagão, e sim uma "interrupção temporária".

Zero Hora

● O sexto blecaute em um período de 12 anos amplia a desconfiança sobre o abastecimento de energia e acentua divergências políticas no setor.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

DICA DO DIA
Certa vez alguém chegou ao céu e pediu para falar com Deus. Segundo o seu ponto de vista, havia uma coisa na criação que não tinha nenhum sentido. Deus atendeu de imediato, curioso por saber qual era a falha que havia na criação.

-Senhor, sua criação é muito bonita, muito funcional, cada coisa tem sua razão de ser, mas, no meu ponto de vista, tem uma coisa que não serve para nada.
-E que coisa é essa que não serve para nada? - perguntou Deus.
- É o horizonte. Para que serve o horizonte? Se eu caminho um passo em sua direção, ele se afasta um passo de mim. Se caminho dez passos, ele se afasta outros dez passos. Isto não faz sentido! O horizonte não serve pra nada.
Deus sorriu e disse:
- Mas é justamente para isso que serve o horizonte... para fazê-lo caminhar e nunca desistir de lutar pelo amanhã. (autor anônimo)

NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
O professor de matemática da Universidade do Estado da Califórnia Tihomir Petrov, de 43 anos, foi preso após ser flagrado pelas câmeras de vigilância da instituição urinando na porta do escritório de um colega, segundo o jornal "Los Angeles Times". Segundo as autoridades, Petrov urinou na porta da sala de outro professor de matemática depois que os dois se envolveram em uma disputa. Em uma audiência preliminar, o advogado de Petrov pediu ao tribunal uma prorrogação de 30 dias sobre o indiciamento de seu cliente, o que foi concedido. Agora, ele terá comparecer no tribunal no dia 3 de março. Será que vai ser condenado? (contaoura.com)

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● Jornalistas estrangeiros integrantes de ONGs se tornaram alvo de ataques, agressões, prisões e até expulsões, numa campanha repressora do governo Mubarak para afastar as principais testemunhas do palco de confrontos e isolar o Egito da opinião pública internacional. Mais de 20 profissionais foram detidos ontem, no segundo dia de selvageria, em que mais dez pessoas morreram. Dois repórteres da estatal brasileira EBC passaram 16 horas de terror, presos com olhos vendados, num cubículo sem água e comida, até serem expulsos do país. A ONU retirou 350 funcionários. A oposição convocou grande manifestação para hoje, apelidada de Dia do Ultimato. Em entrevista a TV americana ABC, Mubarak disse ter pensado em renunciar antes de setembro, mas desistiu por temer vácuo de poder.

● Pressionado pela oposição, o presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika, anunciou que o estado de emergência, em vigor desde 1992, acabará "num futuro próximo". No Iêmen, grupos pró e contra governo foram às ruas, no maior protesto no país desde janeiro. Já o Hamas permitiu que jovens opositores ao regime egípcio protestassem em Gaza.

● A presidente Dilma Rousseff decidiu acabar de vez com a influência do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em Furnas. Contrariada com a reação do líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves, que ameaçara entregar todos os cargos no governo caso o partido não mantivesse a presidência da estatal, Dilma escolheu, convidou e mandou anunciar o nome do engenheiro Flávio Decat para o cargo. Ex-diretor da Eletrobras, Decat é próximo do grupo do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e também do senador Delcídio Amaral (PT-MS). Interceptações telefônicas feitas com autorização judicial pela Polícia Federal durante a Operação Faktor registraram, em 2008, uma conversa de Fernando Sarney com o pai em que pedia que o senador arrumasse um emprego na Eletrobras para o amigo Decat.

Folha de S. Paulo

● Na véspera de outra grande manifestação hoje, o governo Mubarak acenou com proposta de negociação, mas aumentou a repressão. Oito pessoas foram mortas, somando mais de 300 desde o início dos protestos. Jornalistas foram agredidos e mantidos longe da praça Tahrir, no Cairo, onde acontecem os confrontos. Houve ao menos 15 ataques a repórteres, disse ONG. Os brasileiros, Luiz Araújo, do jornal "Zero Hora", Corban Costa, da Rádio Nacional, e Gilvan Rocha, da TV Brasil, foram alvo de violência. O Itamaraty condenou a "barbárie". Paralelamente, o vice Omar Suleiman disse que o filho de Hosni Mubarak não disputará a eleição e convidou a oposição ao diálogo. Em entrevista, o ditador disse que está cheio, mas teme o caos se deixar o poder. O governo Obama discute plano para sua saída.

● A obesidade mundial duplicou em 28 anos, segundo estudo da "Lancet". De 1980 a 2008, 0 numero de homens com índice de massa corporal acima de 30 (que indica sobrepeso) passou de 5% para 10%, e o de mulheres, de 8% para 14%. O ideal é ter IMC entre 20 e 24,9. No Brasil, o índice médio, que era de 23 para homens e de 24 para mulheres, foi a 26 para ambos. No mundo rico, os maiores IMCs estão nos EUA (28); os menores, no Japão (24 para homens e 22 para mulheres).

● A seca na Amazônia em 2010 atingiu 3 milhões de quilômetros quadrados e foi a pior em cem anos, segundo cientistas. O recorde até então era 2005, com 1,9 milhão. Árvores mortas podem emitir 5 bilhões de toneladas de CO2, nos próximos anos; emissão nos EUA é de 5,4 bilhões/ano.

O Estado de S. Paulo

● O governo do Egito ampliou a repressão aos opositores concentrados no Cairo em manifestações pela queda do ditador Hosni Mubarak. Jornalistas estrangeiros e membros de organizações de direitos humanos foram alvo de perseguição - as autoridades os acusam de incitar a população à revolta. A ação provocou forte repúdio do governo americano, aliado de Mubarak, que acusou o ditador de violar leis internacionais. Ao mesmo tempo, o governo egípcio acenou com concessões à oposição, inclusive o diálogo com a Irmandade Muçulmana, principal grupo adversário de Mubarak. Mas os opositores ligados ao Nobel da Paz Mohamed ElBaradei mantiveram para hoje o prazo para que o ditador deixe o poder. Eles apresentaram seu plano de democratização, com ElBaradei como presidente e o julgamento de Mubarak por violações de direitos humanos.

● O governo distribuirá gratuitamente dez remédios para hipertensão e diabete nas farmácias conveniadas ao Aqui Tem Farmácia Popular. Promessa de campanha, o programa Saúde Não Tem Preço, lançado ontem pela presidente Dilma Rousseff, é resultado de um acordo firmado entre o governo, a indústria e o varejo farmacêutico.

● Depois de adiar planos do Metrô, o governo Geraldo Alckmin decidiu congelar a conclusão da Avenida Jacu-Pêssego, a ponte entre Santos e Guarujá e a duplicação da Rodovia dos Tamoios. Não há mais prazo para entrega das obras, orçadas em R$ 3,6 bilhões. A justificativa é a revisão de prioridades.

Jornal do Brasil

● Jornalistas da Agência Brasil foram presos no Cairo e obrigados a deixar o Egito, onde a imprensa internacional encontra muitas dificuldades para cobrir os protestos contra Mubarak.

Correio Braziliense

● O hábito brasileiro de fazer uma fezinha nos concursos da Loteria Federal representa uma bilionária fonte de renda para a União equilibrar as contas públicas. Técnicos da Caixa Econômica Federal relatam ao Correio que mais de R$ 4 bilhões — praticamente a metade dos R$ 8, 8 bilhões arrecadados em apostas no ano passado — enviados à Secretaria do Tesouro Nacional não chegam aos programas sociais do governo, como determina a lei. Esses recursos são retidos para inflar o superávit primário (economia feita para pagar os juros da dívida pública). Nos últimos anos, a Caixa aumentou em 29% o repasse de recursos ao Tesouro, mas não tem a comprovação de como esse montante é aplicado.

Valor Econômico

● Economistas argentinos afirmam que o governo encontrou uma nova maneira de lidar com a inflação elevada: atirar no mensageiro. Nesta semana, o governo enviou um questionário detalhado a consultorias privadas, dando 48 horas para que expliquem como fazem suas estimativas de inflação, sob o risco de serem multadas em até 500 mil pesos (US$ 125 mil). Entidades independentes estimam a inflação do ano passado em cerca de 25%, muito acima da taxa oficial de 10,9%.

Estado de Minas

● Sinal de alerta: a inflação oficial em BH subiu 2,17% em janeiro, maior alta mensal dos últimos oito anos. Os alimentos in natura, com aumento médio de 11,92%, em parte provocado pelas fortes chuvas, foram os principais responsáveis pelo resultado ruim. O tomate, com elevação de preço de 53,81%, teve o maior peso no índice.

Zero Hora

● As farmácias populares têm até o dia 14 para adotar a nova determinação, anunciada ontem por Dilma.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

DICA DO DIA
Era uma vez um caçador que contratou um feiticeiro para ajudá-lo a conseguir alguma coisa que pudesse facilitar seu trabalho nas caçadas. Depois de alguns dias, o feiticeiro entregou-lhe uma flauta mágica que, ao ser tocada, enfeitiçava os animais, fazendo-os dançar. Entusiasmado com o instrumento, o caçador organizou uma caravana com destino à África, convidando dois outros amigos. Logo no primeiro dia de caçada, o grupo se deparou com um feroz tigre. De imediato, o caçador pôs-se a tocar a flauta e, milagrosamente, o tigre começou a dançar. Foi fuzilado à queima roupa. Horas depois, um sobressalto. A caravana foi atacada por um leopardo que saltava de uma árvore. Ao som da flauta, contudo, o animal transformou-se: de agressivo, ficou manso e dançou. Os caçadores não hesitaram: mataram-no com vários tiros. E foi assim até o final do dia, quando o grupo encontrou um leão faminto. A flauta soou, mas o leão não dançou, mas atacou um dos amigos do caçador flautista, devorando-o. Logo depois, devorou o segundo. O tocador de flauta, desesperadamente, fazia soar as notas musicais, mas sem resultado algum. O leão não dançava. E enquanto tocava e tocava, o caçador foi devorado. Dois macacos, em cima de uma árvore próxima, a tudo assistiam. Um deles observou com sabedoria: - Eu sabia que eles iam se dar mal quando encontrassem um surdinho...Não confie cegamente nos métodos que sempre deram certo, pois um dia podem não dar. Tenha sempre planos de contingência, prepare alternativas para as situações imprevistas, analise as possibilidades de erro. Esteja atento às mudanças e não espere as dificuldades para agir.Cuidado com o leão surdo. (Autor Anônimo)

NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
Um morador de Staten Island (Nova York, EUA) está pedindo ao Facebook 500 mil dólares de indenização por ter perdido todos os seus amigos. Mustafa Fteja, de 39 anos, disse que a sua conta foi desativada sem qualquer explicação em setembro, cortando comunicação com seus amigos e seus parentes em vários países, além de impossibilitar acesso a recordações e fotos que estavam na sua página na rede social. "Essa era a forma com que eu me mantinha em contato com essas pessoas", contou à Fox News. Mustafa disse ter perdido contato com 340 amigos e familiares.Mustafa relatou ter tentado em vão durante meses descobrir o motivo de perder o seu perfil no Facebook. A única resposta foi "violação do contrato do Facebook". No processo, ele acusa o gigante do relacionamento on-line de discriminação religiosa. Nascido em Montenegro (que pertencia à Sérvia), Mustafa é muçulmano. "Vivi em um país comunista em que as pessoas não tinham direitos. O que está acontecendo agora parece o mesmo para mim. Não faço isso pelo dinheiro, mas por justiça", desabafou, garantindo não ter tido qualquer comportamento que pudesse ser interpretado como violação.
(contaoutra.com)

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● Numa demonstração de resistência do governo, partidários do ditador Hosni Mubarak saíram às ruas montados em camelos e cavalos, armados com facões, chicotes e pedaços de madeira, e atacaram violentamente opositores na Praça Tahrir, palco dos protestos que há dez dias sacodem o Egito. Muitos deles receberam cerca de R$ 56 para participar. O Exército nada fez para conter as cenas de selvageria que culminaram com três mortos e pelo menos 600 feridos, segundo o governo. Este número pode chegar a 1.500, de acordo com médicos que atenderam as vítimas até em emergências improvisadas nas mesquitas. Os EUA pediram antecipação das eleições e exigiram uma transição imediata. Europeus endureceram o tom e já falam em fim da Era Mubarak. No Iêmen, o ditador que está há 32 anos no cargo anunciou que deixará o poder. Mas só em 2013.

● Eleito pelos colegas para ser o novo corregedor da Câmara, Dudu da Fonte (PP-PE) é cria política de Severino Cavalcanti, ex-presidente e símbolo do baixo clero da Casa, forçado a renunciar ao mandato, em 2005, devido a acusações de corrupção. Dudu não nega o passado e só chama Severino, de quem já foi secretário particular, de "padrinho".

Folha de S. Paulo

● Médicos que orientam padrões de tratamento para certas doenças têm ligações diretas ou indiretas com a indústria farmacêutica, informa Claudia Collucci. Em 11 diretrizes pesquisadas, ao menos 50% dos profissionais tiveram ajuda ou escreveram textos patrocinados por laboratórios. Para o Conselho Federal de Medicina, situação é conflituosa, mas legal.

● Levantamento com dados do MEC mostra que a evasão nas faculdades paulistas em 2009 atingiu média de 27%, patamar mais alto desde 2000 (18%). Índice foi maior nas particulares (29%). Segundo o sindicato, escolas estudam como atender aluno carente, e cenário deve melhorar.

● Egípcios se enfrentam com pedras, porretes e molotov. Grupo pró-ditador ataca multidão em praça do Cairo; confronto deixa ao menos 3 mortos e 1.500 feridos

O Estado de S. Paulo

● A presidente Dilma Rousseff entregou sua mensagem ao novo Congresso com a promessa de construir consensos para a retomada da agenda de reforma política, paralisada desde o governo Lula. Na primeira sessão legislativa do ano, Dilma priorizou a reforma tributária e a política de recuperação do salário mínimo, no modelo proposto pelo Planalto.

● A crise no Egito dá os primeiros sinais de se transformar em conflito civil. Ontem, na Praça Tahrir (libertação), os manifestantes que querem a saída de Hosni Mubarak foram atacados por supostos simpatizantes do ditador - que incluíam policiais a paisana e manifestantes pagos. Ao menos três pessoas morreram e mais de 630 ficaram feridas. Opositores, porém, afirmam que o número de vítimas foi maior. O governo declarou que a transição não começará "imediatamente", como querem os EUA, e denunciou intervenção externa. Jornalistas estrangeiros, entre os quais o repórter do Estado, foram alvo de violência policial.

● Após registrar a menor taxa em 22 anos, o desmatamento da Amazônia teve aumento de 11% entre agosto e dezembro de 2010 ante igual período de 2009. Os números não permitem ainda ver reversão na tendência de queda, mas o governo está em alerta.

● A queda da produção industrial em dezembro (0,7% ante novembro) levou o mercado a rever as projeções para este ano. Algumas consultorias cortaram pela metade suas expectativas, por não acreditarem em melhora do câmbio.

Jornal do Brasil

● Cansados de esperar pelo poder público, moradores de Friburgo se unem em mutirões para reconstruir pontes, praças e tubulações de água. De quebra, ainda cobram mais agilidade dos governos.

Correio Braziliense

● Recebida com beija-mão, presidente reafirma que o Estado brasileiro só pode arcar com o valor de R$ 545 e cobra do Congresso o respeito a regras estáveis para o reajuste do piso salarial. Centrais sindicais reivindicam a antecipação parcial dos ganhos previstos para 2012, o que representaria um aumento real neste ano.

Valor Econômico

● Preocupado com a perda de competitividade do setor produtivo brasileiro provocada pela apreciação da taxa de câmbio, o governo federal estuda desonerar a folha de salários das empresas dos setores da economia mais prejudicados pela concorrência internacional. O objetivo é dar meios a setores como o têxtil e o de brinquedos para enfrentarem a competição de produtos importados da China. Outros setores que poderão ser beneficiados são os de calçados e bens de capital (máquinas e equipamentos).

● Inicialmente, a ideia do governo era diminuir, de forma linear, a contribuição incidente sobre a folha de pessoal destinada ao financiamento da Previdência em todos os setores da economia. Hoje, as empresas pagam contribuição equivalente a 20% do total da folha salarial. Mas por causa das restrições fiscais no primeiro ano da gestão Dilma Rousseff, o governo deve optar por uma desoneração setorial.

Estado de Minas

● Carioca, 57 anos, Luiz Fux substituirá Eros Grau no STF. Ele agradeceu à presidente Dilma pela escolha. No Diário Oficial, seu nome saiu grafado Pux.

● Nevasca impede 12 mil voos nos EUA e para o país Mais de 100 milhões de americanos foram afetados pela tempestade de neve. Nova York e Chicago estão entre as cidades mais afetadas.

Jornal do Commercio

● Dentro de uma delegacia, presos são obrigados por policiais a se beijarem e trocar declarações de amor. Toda a sessão de humilhações foi filmada e as imagens, colocadas na internet.

Zero Hora

● Crédito para o Minha Casa, Minha Vida será maior, o que movimentará a construção e o mercado.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

DICA DO DIA

Todos nós gravitamos em direção àquilo que pensamos com mais frequência. Se você tem alguns objetivos definidos em mente, seus pensamentos o ajudarão a alcançá-los conforme você tiver de lidar cada vez mais com eles. Se você não tiver objetivos, seus pensamentos o levarão em direção àquilo que você pensa com mais freqüência. Sua mente tomará seus pensamentos predominantes e o impelirá naquela direção, deduzindo que seus pensamentos predominantes são seus objetivos.

Você pode observar: todos os palestrantes motivadores têm uma coisa em comum: sugerem, instruem, insistem e imploram para que você escreva seus objetivos. Que faça isso como faz a lista de compras do supermercado ou quando está preparando uma festa. Nessas listas você coloca tudo o que precisa e deseja – escreve e revisa item por item para ter certeza de que terá tudo o que deseja. O mais estranho, porém, é que, embora as pessoas saibam que usar listas funciona, apenas três por cento delas as utilizam para pôr a vida em ordem. Para o evento mais importante de todos – a própria vida – elas seguem em frente às cegas, nunca fazendo uma lista daquilo que querem e se perguntando a todo tempo por que nunca conseguem ter o que desejam!

Tá certo que a elaboração de uma lista não é a única coisa que precisamos fazer para nos organizar, mas pelo menos é algo que nos fornece um método e uma estrutura para alcançarmos aquilo que desejamos na vida. Ainda assim, a maioria das pessoas passa mais tempo planejando festas de aniversário do que a própria vida... As listas funcionam! Funcionam para as compras e funcionam para a vida.

Em poucas palavras: os objetivos são os veículos por meio dos quais podemos vir a ser algo além daquilo que já somos. Nós precisamos de objetivos, não pelo que eles podem nos trazer, mas pelo que eles podem nos fazer...

(Andrew Matthews, no livro "Seja Feliz")

NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
Um objeto luminoso no céu de Hangzhou, na China, chamou a atenção de moradores e fez com que o aeroporto de Xiaoshan quase fosse fechado no dia 7 de julho. Segundo o noticiário do canal ABC News, 18 voos foram atrasados na ocasião. Testemunhas fotografaram o objeto, parecido com um disco luminoso, e contaram ao jornal “China Daily” que este se tratava de um objeto voador não identificado. As investigações sobre o caso estão em andamento. (contaoutra.com)

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● Após os maiores protestos já realizados no Egito e uma mensagem do presidente Barack Obama, pressionando pela transição pacífica, o ditador Hosni Mubarak anunciou que não vai concorrer a seu sexto mandato, em setembro. Mas garantiu que não renuncia, como exige a oposição: "Este é meu país, onde vivi, lutei e defendi sua terra. Vou morrer neste território", disse ele. O Nobel da paz Mohamed ElBaradei deu um ultimato ate depois de amanhã para que ele saia. O pronunciamento de Mubarak desagradou e foi muito vaiado por manifestantes, que sacudiam sapatos no ar, prometendo nova marcha até o palácio presidencial, no que está sendo chamado de "sexta-feira da despedida". A família do ditador já deixou o país e está instalada em Londres.

● Conduzido pela quarta vez pelo senador Jose Sarney, o novo Congresso tomou posse ontem elegendo o petista Marco Maia para presidir a Câmara. Entre estreantes e veteranos, assumiram Tiririca, Maluf, Romário, Jean (ex-BBB) e Garotinho. No Senado, o ex-cara-pintada Lindberg Farias, o presidente cassado Fernando Collor e o sucessor Itamar Franco se reencontraram 19 anos após o impeachment.

● Sócio do PanAmericano, banco vendido por Silvio Santos ao BTG Pactual, a Caixa pôs a disposição da instituição um "cheque especial" de R$ 8 bilhões. Esse limite de crédito faz parte de um acordo com o novo controlador. O Fundo Garantidor de Crédito, que reúne os bancos do país, assumira a rombo de R$ 3,8 bilhões.

Folha de S. Paulo

● O PT e o PMDB, base de sustentação do governo Dilma, fizeram os presidentes do Senado e da Câmara para os próximos dois anos. José Sarney (PMDB-AP), 80, foi eleito para presidir o Senado pela quarta vez. Recebeu 70 votos. Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) teve 8. Com 375 votos, Marco Maia (PT-RS), 45, venceu na Câmara. Sandro Mabel (PRGO), Chico Alencar (PSOLRJ) e Jair Bolsonaro (PP- RJ) tiveram 106, 16 e 9 votos respectivamente. Acordo prevê que Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) comande a Câmara daqui a dois anos.

● Furto de 5 galinhas chega ao STF após 8 anos e 3 instâncias
O Estado de S. Paulo

● No mesmo dia em que os novos congressistas tomaram posse e os líderes passaram a reverberar agenda “gastadora", a presidente Dilma Rousseff escalou governistas para combater a tentação de aprovar projetos que possam comprometer a meta de ajuste fiscal do governo. Entre esses projetos estão o que reduz a jornada de trabalho de 44 para 40 horas, o que propõe um salário mínimo acima de R$ 545 e o que corrige a tabela do Imposto de Renda em índices superiores a 4,5%.

● O número de formandos nos cursos que preparam docentes para os primeiros anos da educação básica, como Pedagogia e Normal Superior, caiu 50%, de 103 mil para 52 mil, entre 2005 e 2009, segundo censo do MEC, informa a repórter Luciana Alvarez. Também houve queda – de 77 mil para 64 mil - no número de graduandos em licenciaturas, que atuarão no ensino médio e nos últimos anos do fundamental. O número dos que estão em sala de aula sem diploma cresceu. E1es somam 636 mil nos níveis infantil, fundamental e médio, cerca de 30% do total.

Jornal do Brasil

● Mubarak já é quase passado, mas a ascensão dos muçulmanos egípcios ao poder pode desequilibrar ainda mais o Oriente Médio.

Correio Braziliense

● O governador Agnelo Queiroz enviou à Câmara cinco projetos de lei criando 10.205 cargos no setor (da Saúde), considerado prioridade pelo petista. Um dos concursos previstos — com 2,5 mil vagas no Hospital de Santa Maria — já tem edital pronto e aguarda apenas a aprovação dos deputados. A ampliação total do quadro termina em 2013.

Valor Econômico

● O Banco Central aumentou sua caixa de ferramentas para lidar com um mundo que escapou da normalidade. No cenário internacional, à excessiva liquidez associa-se a risco real de estagnação em algumas economias européias. E há países com regime de câmbio inflexível, como a China. Internamente, a taxa de câmbio descolou dos fundamentos e são fortes as pressões inflacionárias. A variação do IPCA em 12 meses será elevada durante todo o primeiro semestre, ajudando a piorar as expectativas. Só a partir daí é que a inflação deve começar a ceder.

● Frente a esses novos problemas, a BC tem o foca em dois objetivos: preservar a estabilidade monetária e a estabilidade financeira. Para manter a inflação sob controle, continuará usando a taxa básica de juros. O Copom elevou a Selic para 11,25% ao ano em janeiro, dando início ao ciclo de aperto monetário. Para assegurar a estabilidade financeira, prosseguirá com medidas macroprudenciais.

Estado de Minas

● Depois de dias de impasse, órgãos responsáveis pela manutenção e fiscalização do Anel anunciaram as primeiras medidas concretas para evitar novas tragédias como a que matou cinco pessoas sexta-feira. O Dnit promete instalar até o fim do mês mais quatro radares fixos na descida entre os bairros Olhos D’Água e das Indústrias, onde já existe um. Enquanto isso, a PM Rodoviária começa a operar três radares móveis. BHTrans e Polícia Rodoviária Federal intensificarão o monitoramento nos principais acessos à via. E será criado um comitê gestor que fará reuniões de duas em duas semanas. Ontem, técnicos do Dnit e policiais rodoviários vistoriaram pontos da rodovia.

Jornal do Commercio

● Pesquisa realizada com deputados federais e senadores empossados ontem revela que 65% deles consideram as mudanças o principal tema de discussão do semestre. Comando das casas, incluindo o da Assembleia estadual, segue inalterado.

Zero Hora

● Planalto garante vitória do gaúcho Marco Maia. Com 375 votos, deputado petista derrota três concorrentes e se elege presidente da Câmara no primeiro turno.
● Sarney vai para o quarto mandato à frente do Senado.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011


DIA DE POSSE EM BRASÍLIA

O deputado federal Milton Monti (foto) toma posse hoje, em Brasília, de seu quarto mandato, reeleito que foi em outubro passado, com uma expressiva votação. Em recente entrevista concedida à Rádio Clube de São Manuel, o deputado são-manuelense disse que agora sua responsabilidade é maior ainda. “Quando você já está há algum tempo na vida pública, você tem a responsabilidade redobrada, porque as pessoas têm uma expectativa maior do que você possa fazer a mais. Eu tenho consciência disso, a responsabilidade cada vez aumenta mais e temos que nos esforçar, trabalhar muito, para dar conta do recado”, acentuou. Muitos correligionários e amigos de São Manuel estarão em Brasília hoje para comemorar junto com Milton Monti mais essa conquista importante para São Manuel e para toda nossa região.


DICA DO DIA
Há alguns anos, nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes, todos com deficiência mental ou física, alinharam-se para a largada da corrida dos 100 metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Todos, com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto, caiu rolando e começou a chorar. Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás.Então eles viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: “Pronto, agora vai sarar”. E todos os nove competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos. E as pessoas que estavam ali, naquele dia, continuam repetindo essa história até hoje.Por quê? Porque, lá no fundo, nós sabemos que o que importa nesta vida é mais do que ganhar sozinho. O que importa nesta vida é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso.
(retirado da internet)

NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
Uma mulher de Minnesota ganhou o equivalente a 26 mil reais em uma loteria de Minnesota (EUA), mas não poderá aproveitar o prêmio. Ela morreu um mês antes do sorteio! Ginny McCauley, que morava em Grove, morreu em novembro. A loteria correu em dezembro. Ela apostara junto com dois amigos, segundo reportagem de afiliada da rede NBC. O prêmio total foi de 78 mil reais. Os amigos de Ginny honraram a "sociedade" e deram ao marido dela, Paul, um terço da bolada. O marido sequer sabia que Ginny havia apostado. Se fosse viva, disse Paul, ela gastaria boa parte do dinheiro indo a Dallas para assistir ao Super Bowl (a decisão da NFL, a liga de futebol americano) entre o Green Bay Packers, time do qual era torcedora, e o Pittsburgh Steelers. (contaoutra.com)

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● A Secretaria de Segurança anunciou ontem que o número de homicídios dolosos no Estado do Rio em 2010 foi de 4.768, o menor já registrado desde a série histórica iniciada em 1991, segundo estatística do Instituto de Segurança Pública (ISP). É a primeira vez em 20 anos que o número de homicídios ficou abaixo do patamar de 5.000 registros. Em relação a 2009, a queda foi de 17,7% - menos 1.025 casos. Com isso, a taxa de homicídios do Estado do Rio - que era de 40,6 em 2006 - fica em 29,8 por cem mil habitantes, abaixo da meta do governo, que era de 31. O estado de São Paulo também registrou no ano passado queda nos principais índices de criminalidade. Segundo dados da Secretaria de Segurança de SP, divulgados ontem, houve redução de homicídios, roubos, latrocínio (roubo seguido de morte), roubos de veículos, roubos de carga, roubos a banco e furtos.

● O Exército do Egito prometeu não reprimir um megaprotesto convocado para hoje, que promete atrair um milhão de pessoas às ruas do Cairo. Uma greve geral também foi anunciada, aumentando a pressão sobre Hosni Mubarak. O principal nome da oposição, o Nobel Mohamed ElBaradei, reuniu-se com o médio escalão do Exército, sugerindo diálogo.

Folha de S. Paulo

● Os Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro registraram quedas nos índices de violência no ano passado. Em São Paulo, puxado por forte queda na Grande SP, o número de homicídios dolosos (com a intenção de matar) foi o menor desde 1999. Também caíram os roubos (inclusive veículos), latrocínios (roubo seguido de morte) e sequestros. Com 4.543 assassinatos em 2010, a taxa paulista ficou em 10,48% casos para cada 100 mil habitantes. No Rio foram 4.768 homicídios - taxa de 29,8, a mais baixa desde 1991. A organização Mundial de Saúde chama de violência epidêmica acima de 10 casos.

● O ditador Hosni Mubarak nomeou um novo ministro linha-dura para conter a rebelião no Egito, mas o movimento que pede sua saída quer parar o país e levar 1 milhão às ruas hoje, informa Sami Adghirni. Militantes já acampavam ontem no centro do Cairo. Em nota, o Exército egípcio prometeu não reprimir protestos pacíficos. Sete dias de manifestações no país já deixaram 138 mortos.

● Em Londres, o barril de petróleo passou de US$ 100. Embora não produza muito, o país é uma importante rota para a commodity.

O Estado de S. Paulo

● Oposição e militares de média patente acertaram ontem uma aliança para as bases de um Egito laico e democrático, na expectativa da queda do ditador Hosni Mubarak. A cúpula do Exército anunciou que considera os protestos “legítimos” e que não abrirá fogo contra manifestantes, que prometem para hoje um ato com mais de 1 milhão de pessoas. ● Mubarak pediu que seu vice dialogasse com a oposição depois de uma semana de protestos e 150 mortos. A oferta foi recusada. O governo dos EUA outra vez defendeu a transição para a democracia no Egito, ao mesmo tempo que evitou mencionar a saída de Mubarak, seu aliado.

● A Praça Tahrir, no centro do Cairo símbolo dos protestos pelo fim da ditadura egípcia, ganhou novo herói: o capitão Ehab Fathy, que abandonou o Exército e se juntou aos manifestantes. Ao Estado, Fathy declarou: “Deixei meu posto porque não concordo com esse regime e não vou servir a uma ditadura criminosa”.

● Sem propostas de interesse do cidadão, os dois deputados que disputam hoje a presidência da Câmara, Marco Maia (PT-RS) e Sandro Mabel (PR-GO), reforçaram no último dia de campanha o discurso de tom corporativo. Ambos prometeram construir mais um prédio para ampliar os gabinetes parlamentares e lutar para que o salário dos deputados suba sempre que o dos ministros do STF subir.

● A Lei da Ficha Limpa não impediu que os Legislativos de todo o país, que recebem hoje os deputados eleitos, sejam integrados por parlamentares com problemas na Justiça. Em Mato Grosso, mais de 50% dos deputados respondem a processo.

● Henrique Meirelles, presidente do Banco Central no governo Lula, é o escolhido pela presidente Dilma Rousseff, para assumir a Autoridade Pública Olímpica, que coordenará os investimentos para os jogos de 2016 no Rio. Lula havia prometido a ele um cargo no governo Dilma.

Jornal do Brasil

● Lançado com pompa há um ano, o projeto do Museu da Imagem e do Som não saiu do papel. O governo chegou a anunciar o início das obras para janeiro, mas o mês acabou ontem e... nada.

Correio Braziliense

● A casa mais representativa do país abre as portas hoje, com uma leva de novatos na crônica política e em meio a uma intensa disputa de bastidores. O deputado Marco Maia (PT-RS) segue favorito para vencer hoje a eleição da Presidência da Câmara, embora o rival Sandro Mabel (PR-GO) mantenha a candidatura. Com 567 parlamentares em novo mandato, o Congresso Nacional passa a ser o local de trabalho de personagens conhecidos, como Romário, Popó e Tiririca. As boas-vindas para veteranos e estreantes, incluindo o pagamento de bufês e passagem para convidados, vão custar R$ 1 milhão. O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília estima que os estabelecimentos comerciais terão um acréscimo de 10% a 15% na quantidade de clientes.

Valor Econômico

● O empresário e apresentador Silvio Santos deu adeus na noite de ontem à vida de banqueiro. A venda do PanAmericano foi fechada com o BTG Pactual, de André Esteves, que pagará R$ 450 milhões num prazo de 17 anos, para assumir 37,64% do capital total da instituição, sendo 51% do capital votante e 21,97% do preferencial. O BTG, que passa a ser responsável pela dívida do banco com o Fundo Garantidor de Crédito, ainda terá de fazer uma oferta de compra pelas ações dos minoritários.

Estado de Minas

● Enquanto não sai a adiada revitalização, agora marcada para começar em setembro, mas que pode emperrar de novo por falta de licenciamento, acidentes com mortes se sucedem no Anel Rodoviário, sobretudo na descida do Bairro Betânia. Na sexta-feira, foram mais cinco vítimas. Ontem, encontro de representantes da Prefeitura de BH, Dnit, PM e Polícia Rodoviária nada resolveu. Restaram velhas promessas, como decretação de calamidade na via, medida já adotada sem efeito, estudo da restrição de caminhões pesados, aumento da fiscalização e três novos radares até o fim de fevereiro. À noite, protesto parou trânsito por duas horas no local do acidente.

Jornal do Commercio

● Fiscalização rigorosa na volta às aulas

Zero Hora


● Poder feminino no Cone Sul - Recebida pela colega argentina Cristina Kirchner na primeira viagem ao Exterior em seu governo, Dilma exibiu estilo diferente do antecessor ao apostar na discrição e nas palavras medidas.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

DICA DO DIA
Não sei... Se a
vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura...
Enquanto durar
(Cora Coralina)

NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
Descrito como "gigante" por seu advogado, um detento foi a um tribunal pedir para sair da cadeia, já que o local onde está encarcerado não comporta seu enorme corpo. O grandalhão está cumprindo pena de dois anos por fraude.Agora, o advogado quer tentar fazer seu cliente cumprir o resto da pena dentro de casa, com supervisão eletrônica.A decisão sai no dia 8 de fevereiro. Até lá, vai ser uma grande espera, cheia de dificuldades para passar pelas portas e corredores da cadeia... (contaoutra.com)

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● Uma semana após o início dos protestos no Egito, a oposição prepara-se para a queda do regime de Hosni Mubaraki e, dividida, briga pela liderança de um governo de transição. O Prêmio Nobel da Paz Mohamed El Baradei, o líder mais conhecido no Ocidente, deixou a prisão domiciliar e pediu a saída imediata do presidente, em discurso na Praça Tahrir, epicentro dos protestos no Cairo. Acompanhado por militantes da Irmandade Muçulmana, lançou-se como líder da transição, mas foi ignorado pela principal coalizão oposicionista, que divulgou manifesto propondo uma Assembléia Constituinte. Já o ditador se reuniu com os militares e ampliou o toque de recolher, mais uma vez ignorado pelos manifestam que voltaram em massa às ruas, informa Fernando Duarte.

● As presidentes do Brasil e da Argentina, Dilma Rousseff e Cristina Kirchner, têm hoje encontro inédito: é a primeira vez que mulheres no comando dos dois países se reúnem. A jornais argentinos, Dilma disse já ter tido uma "pequena divergência com o Itamaraty".

Folha de S. Paulo

● A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, defendeu "uma transição ordenada rumo a uma democracia real" no Egito, informa Álvaro Fagundes, de Nova York. Mesmo sem falar explicitamente na saída do ditador egípcio, Hosni Mubarak, ela na prática descartou sua permanência. Cobrou que a eleição para escolher o "próximo presidente" seja "livre, justa e confiável". Um dos principais opositores, o prêmio Nobel Mohamed ElBaradei discursou para uma multidão no Cairo. "É o começo de uma nova era, o que nós começamos não pode ser revertido. Temos uma exigência: que Mubarak deixe o poder".

● A presidente Dilma Rousseff afirmou a jornais argentinos que é preciso "protestar contra todas as falhas que existam em relação aos direitos humanos em Cuba". Mas elogiou o processo de "transformação" na ilha. Em sua primeira viagem internacional depois da posse, Dilma chega hoje a Buenos Aires, em meio a uma retomada dos investimentos do Brasil na Argentina.

O Estado de S. Paulo

● Despachos confidenciais revelam que o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, ordenou aos principais departamentos do Itamaraty, às embaixadas e à missão do Brasil na ONU que façam até março uma reavaliação da política externa, informa o repórter Jamil Chade. A ordem teria partido depois de uma longa conversa de Patriota com a presidente Dilma Rousseff. Entre os pontos que devem passar por revisão, estão o discurso sobre direitos humanos, a relação com regimes autoritários e as negociações com os EUA. Embaixadores acreditam que a política externa brasileira voltará a dar mais relevância a princípios e valores defendidos internamente no País - e que teriam sido deixados de lado pelo Itamaraty durante o governo Lula.

● As Forças Armadas do Egito apertaram ontem as medidas para conter os protestos de manifestantes que exigem a renúncia do presidente do Egito, Hosni Mubarak. Na Praça Tahrir, epicentro da crise, caças da Força Aérea fizeram voos rasantes, buscando um efeito psicológico de intimidação contra os ativistas. O presidente não deu qualquer sinal de estar pensando em deixar o poder. Jornais independentes já falam em 150 mortos.

Jornal do Brasil

● Gays deixam países árabes e, livres da repressão cultural e religiosa, se esbaldam nas festas de Nova York.

Correio Braziliense

● Sete hospitais universitários e sete das Forças Armadas pagaram valores superfaturados em até 1.380% por medicamentos e insumos.

Valor Econômico

● Deve ser anunciada hoje a venda do controle do banco PanAmericano para o BTG Pactual, do banqueiro André Esteves. A saída do empresário Silvio Santos do controle da instituição foi uma exigência do Banco Central depois da descoberta do segundo rombo, de cerca de R$ l,5 bilhão, nos últimos dias, que se somou à fraude contábil anunciada em novembro e que havia demandado uma capitalização de R$ 2,5 bilhões.

Estado de Minas

● Empresas dos setores automotivo, siderúrgico e mineração instaladas nos principais pólos de produção de Minas começam a pagar nesta semana as gratificações negociadas com trabalhadores. O prêmio será quitado até maio e vai beneficiar 88,1 mil funcionários. O aumento do consumo no ano passado, depois que a indústria sofreu os efeitos da crise financeira mundial do fim de 2008, foi decisivo para que os trabalhadores cumprissem as metas. Os benefícios refletem os melhores acordos da década para boa parte dos sindicatos, com reajuste acima da inflação.

Jornal do Commercio

● Festa do Timbu: No clássico das Emoções, Náutico bate o Santa por 3X1 e tricolores perdem a liderança.

Zero Hora

● Por que a Argentina é a primeira rota de Dilma. Visita a Cristina Kirchner, hoje, tem a missão de aproximar mais os dois países.

domingo, 30 de janeiro de 2011

DICA DO DIA
O passo a mais que damos a cada caminhada é o que nos coloca mais próximos de tudo que podemos ser. A tentativa além, um pouco mais além de todas as que já fizemos, é a que mais claramente revela do que somos capazes e até onde poderemos chegar. Quantos de nós nos entregamos antes mesmo de tentar, pela simples dificuldade de perceber que é possível ultrapassar o limite do círculo que traçamos em torno de nós e ao longo da vida? Quantas vezes estivemos na iminência de girar a maçaneta da porta que nos levaria da escuridão à claridade e não o fizemos, simplesmente por não aceitar o impulso livre, soberano e intuitivo que conduzia nossas mãos a girar? Quantas vezes hoje você ouviu seu coração? Sem temer, sem limitar, sem pré-conceber, prejulgar, sem se prender, deixando-se levar pelo prazer de descobrir, correr riscos e realizar. Pobre de quem põe a nuvem do medo diante dos olhos, que prefere fugir em vez de dar-se o direito de praticar o sonho. Tem aquele que, sem saber que era possível, foi lá e fez. Esta é a sua vez. O verdadeiro poder é de quem ousa. Ouse fazer e alcance seu sucesso! (diabetenet.com)


NOTÍCIA DE CAIR O QUEIXO
O grupo Kleymac apresentou na feira de moda de Barcelona uma linha de calças que incorporam princípios ativos cosméticos que em contato direto com a pele liberam, de forma progressiva, um creme hidratante e até um creme anti-celulite. A empresa agitou o setor têxtil com a área cosmética para criar o produto Beauty:K, calças que prometem hidratam a pele durante o uso. Os responsáveis pela empresa garantem que a roupa, que pode ser recarregada quando perde seu efeito devido à lavagem, evita que os usuários tenham que aplicar o hidratante várias vezes ao dia. (contaoutra.com)

CRÔNICA DE DOMINGO
Alô gente! Bom domingo! Esta crônica é recente, e foi publicada no jornal O Pratiano. Fala das agruras de quem tem um espaço e precisaria de pelo menos o dobro para colocar o texto que já está prontinho... Boa leitura!

Não tem jeito: tem que cortar o texto!
Não é tão simples como parece. Quem escreve, sobretudo para jornais, vê-se, quase sempre, pressionado por algo que se chama espaço. Se você se senta – hoje em dia à frente do computador – e se deixa levar pela inspiração de momento, escrevendo aos borbotões, como se fosse uma cachoeira de letras, mesmo que saiba aonde quer chegar, certamente vai ter problemas no final. Provavelmente, terá que cortar o texto, sem fazer com que ele perca o seu sentido.
Escrever é cortar, disse um dia um escritor que sabia do que falava. Isso assusta os principiantes, para quem o difícil é produzir algo. Sofrem, porque quando finalmente conseguem colocar uma palavra no papel, parece que só têm aquela, e precisam recomeçar todo o esforço na busca de outras. Esse problema, entretanto, só afeta parte da população. A outra parte é prolixa e derrama as palavras sobre a tela com uma facilidade que impressiona.
Por vezes, quem escreve assim, não tem a menor noção de como chegar a um ponto final, conclusivo. E quando consegue isso, fica sem saber como voltar e reduzir a extensão do texto para atender àqueles centímetros que tem a sua coluna ou o seu artigo que sairá no jornal.
O autor Bráulio Tavares diz que “a primeira versão de um texto pode ser cortada sem perda de substância, porque a substância, o que o autor quer dizer, nem sempre está claro em sua mente no primeiro momento da redação. Todo mundo escreve procurando. Escreve reproduzindo com palavras uma série de impulsos mentais desencontrados. Ninguém concebe uma frase pronta, definitiva, reluzente, intocável. Frases desse tipo geralmente levam quinze minutos de poda e polimento. No máximo, podemos imaginar que o autor pensou, pensou, e quando se sentou para escrever já escreveu a frase definitiva. Mas a poda e o polimento existiram do mesmo jeito”.
E ele prossegue: “A maioria das pessoas escreve de improviso, ou seja, vai verbalizando as ideias à medida que elas lhe ocorrem. Escrevem, como se dizia, "ao correr da pena". Nossas ideias, principalmente as ficcionais, nem sempre nos surgem sob a forma de palavras específicas. É mais comum que nos surjam como fragmentos de situações narrativas, cenas semivisualizadas, vontade de dizer certas coisas, de registrar emoções, narrar vislumbres de coisas não acontecidas”...
Ele diz que nós sabemos mais ou menos o que deve acontecer, sentamos diante do teclado e o resto é improviso. Como esperar que desse improviso já brotem as melhores frases? Após o esforço inicial de trazer as coisas para o papel, começa outro esforço para tornar essas coisas mais parecidas com o que tínhamos em mente de início.
Quando não sabemos o que estamos pensando, escrevemos pouco, as palavras pingam de uma em uma. Quando sabemos demais, não há dedos nem teclas que bastem. Já temos tudo pronto na mente, mas é preciso cumprir essa tarefa ingrata de digitar as letras de uma em uma...
O que cortar? Uma das primeiras coisas é cortar aqueles fragmentos do discurso que não dizem nada, mas que nos ajudam a manter o fluxo verbal. Coisas como "Para não falar de....", "antes de mais nada...", "acima de tudo..." e por aí afora. E também as enumerações. Quando enumeramos, tendemos a sair enfileirando detalhes, minúcias, fragmentos, e isso complica. Ou fazemos assim ou não há espaço que resista...

O QUE DIZEM OS JORNAIS

O Globo

● Enquanto faltam R$ 115 milhões para investir em radares meteorológicos, R$ 1,2 bilhão será destinado à construção e ao aluguel de prédios para órgãos públicos. Nos duvidosos critérios usados na gestão do dinheiro público, o TSE empenhou R$ 458 milhões em sua nova sede, verba suficiente para instalar e fazer funcionar 412 varas da Justiça Federal por um ano.

● O governo criou um grupo de trabalho para viabilizar a exploração das “terras raras”, elementos químicos encontrados em jazidas minerais, essenciais para aparelhos de alta tecnologia e até mísseis. Estima-se que o setor movimente este ano US$ 9 bilhões.

Folha de S. Paulo

● Apesar da renúncia do gabinete do ditador egípcio, Hosni Mubarak, os protestos continuaram pelo quinto dia, informa Rebeca Rocha, do Cairo. Segundo a conta oficial, ao menos 38 pessoas já morreram desde que começaram manifestações pela queda do regime. O ditador, no poder desde 1981, anunciou a renúncia de seus ministros anteontem, em tentativa de conter os protestos. As forças de segurança chegaram a usar munição letal, e o toque de recolher, descumprido na noite anterior, foi antecipado de 18h para 16h.

● O Exército, colocado nas ruas pela primeira vez desde os anos 80, não conteve os protestos. Em várias cidades, militares se confraternizavam com os manifestantes, que chegaram a escrever palavras de ordem até nos tanques, relata André Lobato, de Suez. O tumulto no mundo árabe, iniciado com a queda do ditador da Tunísia há duas semanas, não dá sinais de arrefecimento. Ontem houve manifestações na divisa com a Faixa de Gaza, território palestino controlado pelo Hamas e que faz fronteira com o Egito e Israel.

● O número de homicídios no Estado de São Paulo caiu 5,35% em relação ao ano anterior e ficou no menor patamar da série histórica, iniciada em 1999. No ano passado, foram 4.320 homicídios, ante 4.564 em 2009. A taxa atual está em 10,47 por 100 mil habitantes.

O Estado de S. Paulo

● A reforma ministerial anunciada pelo ditador Hosni Mubarak não acalmou a população e os protestos contra o governo se intensificaram em todo o Egito. Mais de cem mortos foram identificados apenas ontem, resultado dos confrontos entre os manifestantes que pedem mais democracia e as forças de repressão. A população nas ruas desafiava os tanques e exigia a saída de Mubarak, que governa o país há 30 anos e é aliado dos EUA. O governo fechou os bancos e, com medo de saques, comerciantes transferiram mercadorias para mesquitas.

● As principais ações enfrentadas pela União na Justiça têm o potencial de produzir despesas extras estimadas em R$ 390 bilhões, informa o repórter Renato Andrade. Os cálculos são da Advocacia Geral da União(AGU), que defende o governo nos tribunais. Os casos com maior "risco fiscal" são de empresas que pedem indenizações alegando terem sido vítimas de cobrança indevida de impostos.

● As queixas no Procon-SP relacionadas a serviços como energia elétrica, internet, TV a cabo, telefonia e transportes cresceram 425% entre 2005 e 2009 - de 4.502 para 23.674. O segmento representou 38% de todas as reclamações do período. Para o Procon, os números mostram que os clientes estão menos tolerantes com a má qualidade dos produtos que lhes são entregues, especialmente quando se leva em conta as tarifas pagas por eles - em alguns casos, as maiores do mundo.

Correio Braziliense

● Os 30 dias iniciais do governo da primeira presidente mulher da história brasileira foram marcados pela cobrança rígida de resultados e pelo estilo discreto. Amanhã, ela inicia sua jornada internacional em viagem à Argentina.

Estado de Minas

● O Instituto Mineiro de Desenvolvimento (IMDC), desconhecida organização não governamental com sede em BH, recebeu cerca de R$ 100 milhões de verbas públicas nos últimos quatro anos. Presidida por Deivson Oliveira Vidal, de 29 anos, a entidade não deveria ter fins lucrativos, mas mantém sedes luxuosas para fazer serviços, nem sempre executados, por meio de convênios sem licitação, desde construção de cisternas até eventos de axé music e moda em dezenas de cidades mineiras e de outros estados. O dinheiro público vem também do programa federal Projovem, graças à ajuda de políticos e sócios influentes. Vidal se mudou do Bairro Santa Efigênia, na Região Leste, para o requintado condomínio Alphaville (foto), na Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima.

Jornal do Commercio

● Manchete: Investimentos para qualquer bolso – Não precisa ser rico para entrar no mercado de ações. Com poucos recursos, estudando bem as opções e com paciência, seu dinheiro pode render.

Zero Hora

● Crise corrói ditadura de 30 anos no Egito – Os protestos que incendiaram o mais populoso país árabe e desencadearam repressão violenta mostram a fadiga de um regime. Manifestantes se organizaram via redes sociais.

O QUE DIZEM AS REVISTAS SEMANAIS BRASILEIRAS

Veja

□□□ A reinvenção do bom-mocismo - Angélica e Huck formam o casal celebridade perfeito para um mundo politicamente correto.
□□□ Dossiê de Furnas - Como o manual da corrupção deveria ser usado para impedi-la.
□□□ Oriente Médio - Nada pode deter a marcha dos radicais islâmicos rumo ao poder.

Época

□□□ O guia essencial dos imóveis - Até onde vai a alta? É hora de comprar ou de vender?
□□□ 11 dicas para fazer um bom negócio agora.
□□□ Por que não há uma bolha imobiliária no Brasil-ainda.
□□□ Mundo Árabe - O real alcance da revolta pró-democracia que abala Tunísia, Egito e toda a região.

ISTOÉ


□□□ O novo astro da fé - Como o ex-lavrador Valdemiro Santiago construiu um império religioso com mais de três mil templos espalhados pelo mundo e, com fala de milagreiro, lidera a igreja evangélica que mais cresce no Brasil.
□□□ Política - O governo de detetives de Alckmin em SP.
□□□ Vazamento nuclear - A volta do medo em Chernobyl.

CartaCapital

□□□ A convulsão árabe - No Egito, país-chave no Oriente Médio, talvez se inicie uma virada histórica.
□□□ Exclusivo: CartaCapital está no Líbano.
□□□ Davos - Os emergentes dão o bom exemplo.
□□□ São Paulo - A compra suspeita de uniformes escolares.