sábado, 12 de julho de 2014



DICA DO DIA

Eu costumava contribuir financeiramente com todo tipo de coisa. Se eu estava andando pela rua e alguém me pedia dinheiro, eu dava. Se uma senhora me telefonava, pedindo que eu comprasse três toalhinhas de mesa por 30 dólares, eu comprava. Quando as pessoas apareciam no meu escritório vendendo amendoins mofados eu pensava “Credo!” e comprava três saquinhos. Depois perguntava a mim mesmo: “mas para que causa eu fiz minha contribuição?”, e então me dava conta de que não tinha a mínima idéia da resposta! Pode até ser uma atitude generosa fazer doações para a caridade, mas eu não estava fazendo aquilo por generosidade. Fazia principalmente por estar preocupado com o que os outros iriam pensar de mim. Eu não queria parecer um sovina, por isso contribuía... para que todos me considerassem um cara legal – e isso para mim estava ótimo.

Com muita frequência, eu me preocupava com o que as pessoas iriam pensar, em vez de considerar o que eu queria. Nunca enviava pratos para serem refeitos nos restaurantes, nem pedia aos vizinhos para baixarem o volume da música, e raramente devolvia mercadorias com defeito a uma loja. Mas, enquanto eu achava que estava sendo amigável, na verdade estava sendo fraco. Minha experiência de vida me mostrou que muitas pessoas têm esse mesmo tipo de preocupação devido à necessidade de serem aprovadas pelos outros...

Para manter o controle sobre nossas vidas e viver plenamente, nosso grande desafio é eliminar essa compulsão em obter a aprovação alheia... Preocupar-se com o que os outros pensam a nosso respeito é um hábito difícil de ser quebrado, mas pode haver resultados trágicos se não o fizermos. Com frequência, pessoas sensatas se condenam a uma vida inteira de dedicação a empregos que elas simplesmente odeiam, simplesmente por pensarem no que as pessoas iriam dizer se elas deixassem essa posição segura... Em poucas palavras: ao respeitar os outros, não deixe de ser verdadeiro consigo mesmo. Se as pessoas discordam de suas idéias ou de seu estilo de vida, o problema é delas, não seu.

(Andrew Matthews, no livro "Faça Amigos")

OS JORNAIS

◊◊◊ Seleção Brasileira busca dignidade no mesmo estádio onde começou a Copa, achando que chegaria ao hexacampeonato. Joga hoje contra a Holanda, em Brasília, disputando o terceiro lugar na Copa. Felipão diz que ainda não engoliu a goledada de 7 a 1 sofrida diante da Alemanha. Podemos dizer que os brasileiros também não engoliram, e ficam indignados quando os dirigentes da CBF afirmam na mídia que deverão ficar com Felipão e sua incompetente comissão técnica dirigindo a selação brasileira. Por isso, existem muito brasileiros que torcerão hoje à tarde para o time holandês. Infelizmente.

◊◊◊ O governo Geraldo Alckmin (PSDB) oficializará na edição deste sábado (12) do "Diário Oficial" do Estado de São Paulo a troca de quatro comandantes da Polícia Militar na capital paulista. A decisão foi tomada após reunião na tarde desta sexta (11) entre o governador e o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira.

◊◊◊ Responsável pelo Comando de Policiamento da Capital (CPC), o coronel Leonardo Torres Ribeiro dará lugar ao coronel Glauco de Carvalho, que deixa o comando de Policiamento Comunitário. Formado em direito e doutor em ciência política pela USP, Carvalho assume o policiamento em um momento em que a cidade de São Paulo bate recordes seguidos de roubos.

◊◊◊ Haverá mudança também no Comando da Tropa de Choque, que tem entre seus batalhões a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). Sai o coronel Carlos Savioli, que está no cargo desde agosto de 2013, e entra em seu lugar o coronel Nivaldo Restivo, que atuava no Comando de Trânsito. Anteriormente, Restivo já havia sido comandante da Rota. Para o lugar dele, no Comando de Trânsito, será nomeado o coronel Gilberto Tardochi.

◊◊◊ Por fim, o coronel Reynaldo Simões Rossi assume o comando da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, em substituição ao coronel Maurício Perez. Rossi ficou conhecido no ano passado após ser cercado e agredido por manifestantes mascarados durante um ato que terminou em depredação no centro de São Paulo.

◊◊◊ A presidente Dilma Rousseff disse em entrevista nesta sexta-feira (11) que seu governo será lembrado no futuro pelos investimentos em infraestrutura e por ter criado condições para que a economia do Brasil se torne mais competitiva. "A característica principal desses quatro anos é o fato de que nunca se investiu tanto no Brasil em infraestrutura como investimos agora. O novo ciclo aposta na competitividade produtiva", disse Dilma à jornalista Renata Lo Prete no programa que entrevista os principais candidatos à Presidência da República. Ainda segundo a presidente, seu governo deixa com marca "a criação das condições para se entrar em um novo ciclo", uma vez que o Brasil hoje já reduziu o número de pobres e "em torno de 75% da nossa população está entre as classes C, B e A".

◊◊◊ Depois de a presidente Dilma Rousseff (PT) defender uma renovação do futebol brasileiro, e seu ministro do Esporte, Aldo Rebelo, sinalizar que o governo pretende criar projetos de lei que ampliem a participação do Estado na gerência do esporte, o senador Aécio Neves, candidato do PSDB ao Planalto disse na tarde desta sexta-feira (11) que o "país não precisa da criação de uma 'futebras'" e afirmou que a petista age com "oportunismo" ao defender, agora, uma reformulação. "O futebol brasileiro precisa, é claro, de uma profunda reformulação. Mas não é hora de oportunismo. Principalmente daqueles que estão no governo há 12 anos e nada fizeram para melhorá-lo", disse Aécio em nota publicada em suas redes sociais.

◊◊◊ Bom dia a todos!

sexta-feira, 11 de julho de 2014



DICA DO DIA

Conviver é um exercício impressionante, não é mesmo? As pessoas parecem assumir inúmeros papéis e os representam. São convincentes no que atuam, de tal forma, que vemos o que querem que vejamos.

É quando deveríamos exercitar por outro ângulo: o que vemos, ouvimos e lemos, passaria, forçosamente, por nossa experiência de vida, por nossos valores e conhecimentos. Não dê seu aval incondicional sem a certeza do que assina. Bom senso, então, é a palavra de ordem.

Uma das coisas mais irritantes é sermos subestimados, é a tentativa de manipulação de sentimentos. Quantas vezes concordamos com algo, quando no fundo não é o que faríamos.

Aplaudimos o que nem nos tocou tanto, reverenciamos sem mérito, elogiamos efusivamente o que deveria ser melhorado. E porquê? Por estar na moda? Pra ir “na onda"? Por ser o esperado? Pra não cair no desagrado? Talvez pra ser aceito? Querendo não magoar?

Faltando com a sinceridade, privando o outro de um possível crescimento que seu feedback leal daria, não magoa mais? Não é uma forma equivocada de ir firmando o seu espaço, o seu EU?

E tudo que aprendemos sobre personalidade própria, atuar com lisura, ter coragem, ser objetivo, ser ético? Na prática não vale?

Erguer dois pesos e duas medidas para uma mesma situação. Acender uma vela pra Deus... e outra pro Diabo; ir de acordo com a maré; ir aonde Maria vai... É triste.

Não permita que manipulem sua pessoa, seus sentimentos. Valorize o que você é. O que pensam que você é de nada vale, se de fato você não for. “Chute o pau da barraca” quando a situação assim o exigir.

Seja sincero quando buscarem sua opinião. Critique, se for preciso, sempre apontando caminhos. E, sim, distribua carinho, mas de forma consistente, por ser a real tradução do que sente.

Aja sempre como gente. Gente de bem. Gente saudável. Gente grande.

(diabetenet.com.br)

OS JORNAIS

◊◊◊ Na esteira da eliminação na Copa, ministro defende uma mobilização do Estado para reerguer o esporte. Em outra frente, projetos adormecidos no Congresso devem voltar à pauta. Especialistas dizem que apoio oficial não deve ser restrito a uma modalidade.

◊◊◊ Após visita aos companheiros na concentração, Neymar deu show de serenidade em entrevista: disse que a Seleção não jogou no padrão exigido, mostrou-se confiante no próprio futuro e no da equipe e perdoou o colombiano que causou sua lesão.

◊◊◊ Coleta de assinaturas para criar comissão parlamentar de inquérito recomeça na segunda-feira. O objetivo é apurar denúncias de corrupção no futebol brasileiro e nas obras do Mundial. "Tivemos uma Copa superfaturada", acusa Álvaro Dias (PSDB-PR).

◊◊◊ O advogado do executivo da Match Ray Whelan, Fernando Fernandes, disse, por meio de nota, que seu cliente não fugiu, já que está amparado por uma decisão da Justiça que concedeu a ele um habeas corpus. A polícia civil considera o executivo foragido. Ele é acusado de envolvimento com a máfia de venda de ingressos para a Copa do Mundo. A Polícia Federal inseriu, na noite desta quinta-feira, o nome do britânico no sistema de procurados e impedidos de deixar o país.

◊◊◊ Mais uma vez, a disputa pelo Governo do Distrito Federal se transformou numa batalha jurídica. Na quarta-feira, José Roberto Arruda foi condenado em segunda instância. A Lei da Ficha Limpa valerá para tirá-lo da corrida eleitoral? Toninho e Aldemário , do PSol, entendem que sim e pediram ao TRE, ontem, que invalide a candidatura.

◊◊◊ A alta dos juros e os critérios mais rigorosos adotados pelos bancos para a concessão de financiamentos têm levado muitos compradores a devolverem as unidades por não conseguirem aprovação de crédito. Entre as cinco maiores construtoras do país, quatro aumentaram a retomada, algumas em até 140% no primeiro trimestre deste ano. Além da questão de financiamento, há o distrato por atraso na entrega de imóveis.

◊◊◊ O Banco de Desenvolvimento do BRICS, que será finalmente criado na VI Cúpula do grupo, em Fortaleza, na terça-feira, chega em boa hora. É monumental o déficit de investimentos em infraestrutura em países emergentes e em desenvolvimento: de US$ 1 trilhão a US$ 1.4 trilhão por ano, especialmente em obras do setor elétrico, transportes e telecomunicações.

◊◊◊ Em novo capítulo da crise diplomática entre EUA e Alemanha, o governo de Angela Merkel solicitou que o chefe do escritório da CIA ( agência de inteligência americana ) em Berlim deixe o país.

◊◊◊ Bom dia a todos!

quinta-feira, 10 de julho de 2014



DICA DO DIA

Se você quer alguma coisa, dê-a! Não parece um despropósito? É mais fácil conseguir o que se quer abrindo mão de parte do que já se tem. Quando um agricultor quer mais sementes, pega as que tem e entrega-as à terra. Quando você quer um sorriso, oferece o seu. Quando quer afeto, dá afeto. Quando ajuda as pessoas, elas o ajudam. E quando quer um beijo na boca? Beija a boca de alguém. E se quiser que as pessoas lhe dêem dinheiro? Dê um pouco do seu. Pense nisso. Se a fixação e o apego excessivo impedem o fluxo de coisas boas para a sua vida, talvez a atitude oposta seja o desprendimento: o de entregarmos uma coisa que valorizamos muito. O que você dá tende a voltar a suas mãos... Quantas vezes a gente ouve esse tipo de história... “um velho miserável e pão-duro, que praticamente passava fome, morreu com um milhão de dólares debaixo do colchão?”. Aí vem a pergunta: se é preciso dar para receber, o que aconteceu neste caso?

Aí eu respondo: seu saldo bancário não é a medida de sua abundância. Abundância é aquilo que circula em sua vida. A prosperidade é um fluxo: dar e receber. Se você tem uma fortuna depositada na Suíça e não a usa, esse dinheiro não o está enriquecendo. Tecnicamente é seu, mas na realidade você não “recebe” nada dele. Esse dinheiro não o torna abundante e podia muito bem pertencer a outra pessoa. Portanto, o princípio de dar e receber continua valendo mesmo assim.

Em poucas palavras: o macete consiste em dar sem querer nada em troca. Se você espera um retorno, está fixado no resultado – e quando nos fixamos no que quer que seja, pouca coisa acontece. E não devemos gozar das nossas posses pessoais? Claro que sim! Basta ter certeza de que é você que as possui, e não são elas que possuem você.

(
Andrew Matthews, no livro "Siga seu coração")


OS JORNAIS

◊◊◊ Um dia depois do humilhante 7x1, o vexame brasileiro ganhou contornos ainda mais dramáticos. A final da Copa será decidida domingo, no Maracanã, entre os algozes alemães do Mineiratzen e o maior rival canarinho de todos os tempos, a Argentina, que buscará a glória máxima: a conquista do tri mundial em solo verde e amarelo.

◊◊◊ Opinião do blogueiro: Na verdade, está sendo muito difícil para os brasileiros agüentarem as gozações dos argentinos, principalmente com a classificação do time deles para disputar o título contra a Alemanha. A coisa só vai melhorar para os brasileiros se a Alemanha vencer “los hermanos” e o time de Felipão ganhar da Holanda no sábado...

◊◊◊ Após o feriado paulista de ontem, os mercados financeiros retomam plena atividade hoje com a tarefa urgente de tentar "precificar" os possíveis efeitos sobre a economia do golpe desferido à autoestima nacional pela ultrajante derrota da seleção na semifinal da Copa.

◊◊◊ Um dia após sofrer o maior revés de sua história, Luiz Felipe Scolari disse que o trabalho "não foi de todo ruim", e que o time sofreu "seis minutos de pane geral" nos 7 a 1 para a Alemanha. "Se pudesse responder o que aconteceu nos seis minutos, responderia, mas não sei". Em entrevista em Teresópolis, o treinador defendeu seu trabalho na seleção brasileira, apresentou o retrospecto da equipe desde que assumiu (19 vitórias, seis empates e três derrotas) e lembrou que esta foi a primeira vez que o Brasil chegou à semifinal da Copa desde 2002. (...) O agente de Neymar, Wagner Ribeiro, chamou o técnico de "prepotente, arrogante, muito fraco". Para ele, o time "não tem padrão tático" e "parecia o jaboticabal" ante a Alemanha.

◊◊◊ A polícia do Rio indiciou 12 pessoas sob suspeita de participação em quadrilha de comércio ilegal de entradas da Copa. Por pressão da Fifa, o diretor da Match Services Ray Whelan, apontado como líder do grupo, deixou funções na Copa. O advogado de Whelan reclamou da falta de acesso aos autos e afirmou não entender as acusações contra seu cliente.

◊◊◊ Três montadoras voltadas para o mercado premium conseguiram crescer num semestre decepcionante para a indústria automobilística brasileira. A Audi dobrou suas vendas no período. Mercedes e Lexus aumentaram em 15%. Com apostas em novos modelos, Hyundai e Renault completam o time que driblou a crise.

◊◊◊ O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse não ser mais necessária a cobrança adicional sobre o aumento do consumo de água, medida criticada ao ser anunciada, há quase três meses. A situação do abastecimento continua crítica. O sistema Cantareira estava nesta quarta (9) em 18,8% da capacidade, considerado o "volume morto". Em maio, eram 26,7% .

◊◊◊ Bom dia a todos!

quarta-feira, 9 de julho de 2014



DICA DO DIA

Aprenda a repousar sua mente.
A mente cansada não pode pensar direito. .
Repouse a mente, fazendo o exercício da Higiene Mental, para conquistar cada vez maior energia e vigor.
O cérebro cansado turva o pensamento,
E o pensamento é a maior for ça criadora que existe sobre a terra.
Repouse o cérebro, para pensar com acerto e alegria.
(Minutos de Sabedoria)

9 DE JULHO

São Paulo de 32. Esse é o título de um texto que está na capa de um LP, gravado no ano de 1957, ainda em acetato, anterior portanto aos LPs gravados em vinil, e que evoca a epopeia paulista de 1932, que relembramos hoje.
O disco foi produzido pela Som Indústria e Comércio S.A. – Discos Copacabana e tem, no Lado A, poesias de Oliveira Ribeiro Neto. No Lado B, os poemas são de Guilherme de Almeida. A música é de Alceu Bocchino. A apresentação é de Cesar Ladeira, que, em 1932, era locutor da Rádio Record de São Paulo, e foi cognominado o “Locutor da Revolução”.
No texto, a lembrança de que “a gravura de Belmonte, as cores de Piratininga, a força dos poetas, a voz empolgante, a música heróica e a partitura de Alceu Bocchino, poderão mostrar ao Brasil o que foram esses dias varonis de Julho, Agosto e Setembro de 1932”.
Importante salientar que muitos jovens são-manuelenses também participaram daquele episódio histórico, sendo muitos já falecidos. Os que faleceram mais recentemente foram Octávio Paschoal e Auzílio Attilio Innocenti, que estiveram em combate.
A Revolução de 1932 teve início num confronto, em ruas paulistanas, em que foram mortos quatro estudantes: Martins, Miragaia, Drauzio e Camargo, cujas iniciais batizaram o movimento como MMDC. Ressalte-se que Martins era um jovem são-manuelense. Outro são-manuelense ilustre que participou da Revolução de 1932 foi o major Romão Gomes, cujo nome é ressaltado e dignificado pela história, por seus feitos em combate.
No Museu Histórico e Pedagógico Padre Manuel da Nóbrega há uma sala especial que evoca a Revolução Constitucionalista de 1932, e onde os são-manuelenses mais jovens poderão encontrar dados e detalhes sobre esse momento histórico de São Paulo e do Brasil.
(texto dos arquivos do blogueiro)

OS JORNAIS

◊◊◊ Texto do jornal “Brasil Econômico”: O futebol brasileiro sentiu ontem um impacto tão forte quanto o Maracanazo de 1950. Na pior goleada sofrida pela seleção em toda a sua história – e também de todas as Semifinais de uma Copa do Mundo – o time comandado por Luiz Felipe Scolari foi esmagado pela Alemanha de Müller, Klose, Kroos e do técnico Joachim Löw. Em apenas seis minutos, levamos quatro gols alemães. Ao final, Alemanha 7, Brasil 1. “Explicar o inexplicável é muito complicado”, resumiu o goleiro Júlio César.

◊◊◊ Texto do jornal “Correio Braziliense”: Não precisava tanto. Um vexame para a eternidade. Há quem diga que o futebol explica a vida. Eu sou um deles. E, se você concorda comigo, terá que admitir que ontem morremos. E não foi morte morrida. Foi morte matada mesmo, meu caro João Cabral de Melo Neto. De tão dolorida que não se entende. Não morremos para sempre, é verdade, mas morremos.

T exto da “Folha de S. Paulo”: Pela segunda vez, o Brasil perdeu a chance de tornar-se campeão mundial de futebol em seu país. Se em 1950 o 2 a 1 para o Uruguai teve contornos trágicos, a eliminação de 2014 foi marcada pela humilhação. A seleção conheceu a maior derrota de sua trajetória centenária e o pior revés de um anfitrião de Mundiais.

◊◊◊  Constatação deste blogueiro: Penso que o grande culpado disso tudo é Felipão. Ele afundara o Palmeiras e depois foi chamado como salvador da pátria de chuteiras, porque houvera ganho um mundial em 2002. O t ime foi muito bem na Copa das Confederações, que é muito menos complicada que um Mundial. Agora o time afundou... Desde o primeiro jogo, mostrou muita incapacidade e nunca convenceu. Mas o pior estava por vir: a Alemanha. E o time de Felipão, sem Neymar, deu mostras de fraqueza e deixou-se levar pelo futebol de toques da Alemanha. Agora só nos resta esperar que venha um novo treinador, quem sabe estrangeiro, para recuperar o que perdemos ontem no Mineirão, ou, se preferirem, no Mineiraço...

◊◊◊ Bom dia a todos!