terça-feira, 30 de agosto de 2016


EM DIA COM AS NOTÍCIAS

Gildo Sanches

 

COMEÇA JULGAMENTO

Nove meses depois de a Câmara abrir o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o Senado iniciou nesta sexta-feira o julgamento final da petista no mesmo plenário onde Fernando Collor foi cassado há 24 anos. O capítulo decisivo, que começa com o depoimento de testemunhas, deve terminar na terça ou quarta que vem. Certo de que Dilma será condenada, auxiliares do presidente interino, Michel Temer, já preparam sua posse.

 

SEGUNDO PLANO

Dilma Rousseff começa a ser julgada por crime de responsabilidade. Ela perderá o mandato se pelo menos 54 dos 81 senadores a considerarem culpada por editar decretos de suplementação orçamentária sem aval do Congresso. Mas, na véspera do início do julgamento, outro tema monopolizou o Senado: reajustes para o funcionalismo. Tasso Jereissati, do PSDB, e Ronaldo Caiado, do DEM, ameaçaram com a saída dos partidos da base governista caso Michel Temer não defina posição.

 

CLIMA TENSO

O clima pesou após Renan Calheiros (PMDB-AL) anunciar que o projeto que eleva salários no STF será votado dia 8. “O governo e seu partido, que é o PMDB, precisam assumir sua posição: se é governo ou se quer fazer graça para alguns”, disse Jereissati. “Estou fora se continuar assim. Não vou compactuar com uma farsa dessa. Ou o governo tem coragem de assumir e dizer o que quer, ou estou fora”, afirmou Caiado.

 

FRUSTRAÇÕES

Na Olimpíada que terminou no domingo, com saldo amplamente positivo para os esportes e para o Rio de Janeiro, a quantidade de imprevistos frustrou muitas previsões. Apontando para questões ambientais, de mobilidade urbana e de violência, os videntes mais cruéis, especialmente estrangeiros, deram declarações à imprensa condenando os Jogos de 2016 ao fracasso.

 

RETRATAÇÃO

O saldo das três semanas de competição calou essa turma – da qual se espera a devida retratação. Aliás, o mesmo deveriam fazer outros autores de frases desastradas. É o caso do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. Na quarta-feira 17, ele afirmou que a Lei da Ficha Limpa “parece ter sido feita por bêbados”.

 

CONDUTA MAIS COMEDIDA

Claro que muita gente imagina, com razão, que a certas autoridades cabe conduta mais comedida. Mas, considerando o comportamento de alguns juízes de nosso Supremo frente aos holofotes é realista concluir que essa vaca já foi para o brejo. Mendes poderia enxergar a Ficha Limpa por lente oposta, destacando mais suas qualidades do que eventuais imperfeições.

 

COERÊNCIA

Seria um ato de coerência do magistrado. Não só porque aquele texto legal nasceu de amplo movimento popular contra políticos que delinquem com dinheiro público, mas porque decisões do TSE, que o próprio Gilmar preside e onde bêbados não julgam, já deram integral respaldo à mesma Lei.

 

MULTA

O MPF pediu a condenação de João Santana e Mônica Moura, marqueteiros de campanhas da presidente afastada Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Também foram pedidos bloqueio de R$ 795 milhões de bens do casal e multa de R$ 1,5 bilhão.

 

OPINIÃO

Um dia após o ministro do STF Gilmar Mendes criticar a Lava Jato, associações de juízes e procuradores divulgaram nota defendendo a operação. “É lamentável que um ministro do STF milite contra as investigações com a intenção de decretar seu fim”, disse a Associação dos Magistrados Brasileiros.

 

MERCEDES OFERECE PDV

Após acordo com sindicato, a Mercedes- Benz abriu programa de demissões no qual oferece R$ 100 mil a quem se voluntariar. São esperadas 1,4 mil adesões.

 

TAXA DE FISCALIZAÇÃO

O governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles, sancionou mais um aumento de imposto. A taxa de fiscalização ambiental cobrada de empresas que trabalham com atividades potencialmente poluidoras subiu 150%. Desde dezembro, para reduzir o rombo no orçamento, o estado elevou alíquotas de ICMS, IPVA e do imposto sobre heranças.

 

REBAIXADO

O pacote de ajustes que previa corte de custos e venda de imóveis, anunciado em junho, porém, ainda não deslanchou. O número de comissionados, por exemplo, não caiu em um ano. A Standard & Poor’s rebaixou a nota de crédito do estado.

 

TERREMOTO NA ITÁLIA

O terremoto de 6,2 graus na escala Richter que atingiu o centro da Itália por volta das 3h30 de sexta-feira (hora local) deixou mais de 200 mortos na região de Úmbria, a cerca de 150 km de Roma. O número deve subir, pois há muitos soterrados. A área é sujeita a tremores – há seis anos, a tragédia de L’Aquila matou mais de 300. Desta vez, cidades como Amatrice, Accumoli e Pescara del Tronto foram destruídas. A terra tremeu por 138 segundos. Várias estradas foram bloqueadas, o que dificultou o socorro. O prefeito de Amatrice, Sergio Pirozzi, definiu a situação como “carnificina”. O vilarejo de 2,5 mil habitantes estava cheio de turistas por causa de um festival gastronômico. Há alerta vermelho para novos tremores.

 

INVESTIGAÇÃO

Governo Michel Temer tem informações de que procuradores tentaram investigar, além do ministro Dias Toffoli, assessores e familiares de outros dois membros da corte. Um racha entre procuradores ligados a Rodrigo Janot, em Brasília, e a força-tarefa em Curitiba pode esclarecer uma das origens do vazamento da citação a Dias Toffoli na pré-delação da empreiteira OAS.

 

PAZ NA COLÔMBIA?

Governo e Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) concluíram o texto do acordo de paz discutido havia quatro anos e que encerrará 52 anos de conflito civil, informa a enviada a Bogotá, Sylvia Colombo (FOLHA DE S.PAULO). O presidente Juan Manuel Santos marcou para 2 de outubro o plebiscito em que a população decidirá se aprova o documento.

 

POR UNANIMIDADE

Foi por unanimidade que os seis juízes da Corte Interamericana de Direitos Humanos decidiram na Costa Rica que o órgão não opinará sobre o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Uma derrota para o secretário-geral, Luis Almagro, que forçava muito a barra por um pronunciamento. Os magistrados foram além, ao considerar que a situação de Michel Temer está em vias de ser resolvida, pelo Senado brasileiro.

 

MAMÃE E QUERO

A OAB de Sergipe inaugura a ”sala da mamada” na quarta-feira (dia 6). Funcionará dentro do Fórum da Justiça Federal. Atenderá as necessidades das advogadas lactantes, que não são poucas, e seus bebês naturalmente. “Espero que o espaço vire referência nacional” diz o presidente da seccional, Henri Clay Andrade.

 

 

Crônica

No mundo da música caipira

Gildo Sanches

O telefonema que recebo é de Piracicaba. Do outro lado da linha estava meu amigo Amando Saglietti (já falecido), um são-manuelense que há muito tempo deixou a terrinha e mudou-se para aquela cidade à beira do rio Piracicaba. Fomos colegas de Banco Brasul de São Paulo S.A., mas não chegamos a trabalhar na mesma agência juntos. Quando eu ingressei em São Manuel ele havia sido transferido. Membro da tradicional família Saglietti, irmão do professor Lino, Amando também foi locutor da Rádio Clube de São Manuel por muitos anos. Apresentou o programa “Sociais”, ainda hoje no ar por aquela emissora, nos anos 40, começo dos anos 50.

Vez em quando nos falávamos por telefone. Amando guardava São Manuel no coração, com saudade da terra, dos amigos, da vida de bancário aqui, das jornadas como locutor de rádio. Caipira como eu, deixou São Manuel mas permaneceu na região, porque Piracicaba faz como que um vértice de um triângulo, com São Manuel e Tietê, ou Tatuí, onde está entranhada a cultura caipira. Tanto que Cornélio Pires, um pioneiro do gênero, nasceu em Tietê, assim como Tonico e Tinoco nasceram aqui no nosso pedaço, São Manuel- Pratânia.

Nesse telefonema de agora ele me conta, entusiasmado, que esteve assistindo a uma palestra proferida lá em Piracicaba pelo consagrado jornalista José Hamilton Ribeiro, que falou, entre outros assuntos, de seu livro mais recente, intitulado “Música Caipira – As 270 maiores modas de todos os tempos”. A satisfação de Amando Saglietti era também pelo fato de ter sido mencionado pelo escritor o nome de um livro que eu escrevi, entre as obras pesquisadas para compor o “Música Caipira”. O livro “Tinoco, Um Herói do Sertão” consta da bibliografia do livro de José Hamilton. Claro que eu fiquei feliz com a notícia que ele me transmitiu, e satisfeito por novamente poder falar com um amigo que não vejo pessoalmente há tanto tempo.

Vale acrescentar que o autor, José Hamilton Ribeiro, é o apresentador do programa “Globo Rural”, um dos mais antigos da grade da Rede Globo de Televisão. Ele escreve também para a revista do mesmo nome e tem no currículo feitos impressionantes. Nascido na cidade paulista de Santa Rosa do Viterbo e repórter por vocação, com 40 anos de profissão, Zé Hamilton, como é mais conhecido, ainda mantém a mesma obstinação e o prazer pela busca da notícia.

Ao longo de sua carreira esteve à frente da criação da revista “Realidade”, que se tornou um paradigma do jornalismo brasileiro, e da “Quatro Rodas”. Como correspondente de guerra, pela “Realidade”, foi atingido por uma mina e perdeu uma perna. Trabalhou na “Folha de S. Paulo”, “Globo Repórter”, “Fantástico” e está no Globo Rural há vinte anos, exercendo as funções de repórter e editor. Considerado um dos maiores jornalistas deste país, Zé Hamilton já ganhou inúmeros prêmios. Somente o Prêmio Esso, ele o recebeu sete vezes.

Autor de vários livros, Zé Hamilton lança o “Música Caipira”, contando histórias desse gênero musical desde os tempos do descobrimento do Brasil. “Havia músicos na caravana de Cabral e, como a viola era moda na Portugal da época, cabe supor que os tripulantes trouxessem uma”, escreve ele no início da bonita obra, que depois envereda pela história da canção sertaneja no Brasil e destaca autores e cantores, com pequenos trechos das letras das músicas e detalhes interessantes de mais de duas dezenas de modas de viola e outros ritmos que encantam a muitos de nós.

 

 

 

 

 

Nenhum comentário: