terça-feira, 30 de agosto de 2016


EM DIA COM AS NOTÍCIAS

Gildo Sanches

 

CASSAÇÃO DE CUNHA

Depois de longa indefinição, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou a votação do processo de cassação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para 12 de setembro, após a conclusão do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Maia deu uma série de justificativas para adiar a votação. A decisão agradou a aliados do presidente interino, Michel Temer, preocupados com a possibilidade de uma reação vingativa de Cunha influenciar o desfecho do impeachment. Criticado, o presidente da Câmara disse que o prazo respeita a média histórica do Parlamento.

 

PREOCUPAÇÃO COM O TSE

Diante do iminente impeachment de Dilma Rousseff, o presidente interino, Michel Temer, volta as atenções ao processo de cassação da chapa no TSE. A aliados de Temer, o ministro Gilmar Mendes disse ser pouco provável que ele seja julgado isoladamente.

 

CRITICAS

Em reunião com o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), empresários criticaram a retirada de contrapartidas na renegociação da dívida dos estados. Para ele, porém, o teto para gastos é mais importante.

 

INFLAÇÃO

A quebra de safra encareceu produtos importantes da cesta básica do brasileiro. Arroz, feijão e leite foram alguns dos itens que mais pressionaram o orçamento familiar em julho. A taxa de inflação acelerou para 0,52%, ante 0,35% em junho, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Apenas neste ano, os alimentos já ficaram 8,79% mais caros. Em julho, foram responsáveis por 65% da inflação. Analistas esperam mudanças no segundo semestre, embora a pressão dos alimentos em julho sugira que a revisão para baixo das expectativas de inflação será mais lenta.

 

TENDÊNCIA DE QUEDA

 “A tendência é de queda. A apreciação do real e a atividade ainda fraca devem levar a uma trajetória de desaceleração nos próximos meses mais forte do que a observada na primeira metade do ano”, avalia o economista Luiz Fernando Castelli. O IPCA acumulado em 12 meses desacelerou de 8,84% em junho para 8,74% em julho, patamar ainda distante da meta do governo, de 4,5%.

 

META DESCUMPRIDA

Faltando mais de quatro meses para o fim do ano, as contas do governo já estão no limite. Segundo o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a programação orçamentária para este ano já atingiu saldo negativo de R$ 169 bilhões, dos R$ 170,5 bilhões previstos na meta fiscal deficitária de 2016. Apesar de a estimativa de rombo ser bem maior do que a projetada pela equipe de Dilma Rousseff, o mercado já aposta no descumprimento da meta.

 

PREJUÍZO DO BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social deve anunciar prejuízo de cerca de R$ 2,5 bilhões no primeiro semestre. Será o primeiro no período desde 2003.

 

ATAQUE EM FAVELA

Integrantes da Força Nacional de Segurança foram baleados por criminosos, após entrarem por engano, com um carro da corporação, na Vila do João, comunidade dominada por traficantes no Complexo da Maré, na zona norte do Rio. O soldado Hélio Andrade, da Polícia Militar de Roraima, ficou gravemente ferido e um oficial foi atingido por estilhaços. O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, prometeu resposta.

 

SEM ABALO

Os sorrisos do marqueteiro do PT João Santana e de sua mulher e sócia, Mônica Moura, na segunda-feira 1º, podem indicar  que o casal preso desde fevereiro, na 23ª fase da Lava Jato, não se abalou com a temporada na prisão. E ganharam a liberdade com o pagamento da fiança recorde de R$ 30 milhões. Nos meses de cadeia, eles admitiram o recebimento de US$ 4,5 milhões de caixa 2 na campanha de Dilma, em 2010, que mentiram nos interrogatórios e negociam delação. Seguem réus por corrupção e lavagem de dinheiro. Embora o aspecto simbólico da fiança fixada pelo juiz Moro seja inquestionável é bom que os brasileiros comecem a se deparar com punições dessa robustez.

 

SOLTOS PROVISORIAMENTE

A corrupção no Brasil correu solta ao longo da história, sem haver punição rigorosa. Foi um maná para políticos, donos de empreiteiras e lobistas. Contudo, importante frisar que Mônica e João Santana foram soltos provisoriamente. Podem inclusive ser multados em valor maior que a fiança e perder patrimônio. O que receberam foi só um alívio diante da primeira confissão – que lhes permite tomarem café e almoçar com a família.

 

NÃO PODE

Caiu por terra o mandado de segurança impetrado pela Confederação de Voo Livre do Brasil contra a restrição no espaço aéreo do Rio para a segurança dos Jogos Olímpicos, Em vigor de 24 de julho a 22 de agosto, a medida não sofreu críticas de empresas aéreas. Porém, teve resistência dos donos de parapentes e asas deltas, que queriam faturar com vôos panorâmicos nos dias dos Jogo. O desembargador Ricardo Perlingeiro, do TRF da 2ª Região, acolheu os argumentos da AGU.

 

FELICIDADE

Em que pese o vai e vem em relação ao projeto de reneg0ociação das dívidas estaduais com a União, Michel Temer tem dito a interlocutores que a sua equipe econômica é digna de medalha olímpica. Apesar de não ser fã de esportes. A cada pesquisa que aponta melhoria no ânimo dos brasileiros, ainda que pequena, o presidente sorri. E espera que as sucessivas derrotas do Governo no Congresso terminem quando Dilma Rousseff for de vez afastada.

 

A MMISSÃO
Envolvido até o pescoço com o saneamento da estatal, Pedro Parente declarou na semana passada que a Petrobrás precisa de estabilidade para empreender seus negócios. Referia-se à crise da Lava Jato, que chamou de horroroso espetáculo da corrupção. A par das ações do juiz Sérgio Moro, a empresa luta para recuperar na Justiça o que perdeu com a corrupção praticada por ex-funcionários.

 

FRUSTRAÇÃO
As reclamações contra a Vila Olímpica e a organização dos Jogos, comandada por Carlos Arthur Nuzman, aumentaram no Rio de Janeiro. Chefes de delegações e atletas estão aborrecidos por não acharem muitos “Pokémons” na área. O jogo fenômeno para smartphones foi lançado em 6 de julho no exterior e estreou no Brasil, oficialmente, na quarta-feira (dia 3). O neozelandês Eric Murray, que vai disputar provas de remo, em seu Instagram chegou a suplicar que trouxessem ginásios de Pokémon para a Vila.

 

VISITAS

Quando no comando do Ministério do Trabalho, Francisco Dornelles tinha o hábito de visitar com frequência municípios do Estado do Rio nos finais de semana. “Não quero ouvir queixas de que fiquei esnobe depois de virar ministro” repetia. Desde março governador em exercício do Estado do Rio, ele abdicou das viagens ao interior. Ninguém é popular sendo gestor de um estado em crise permanente.

 

ELEIÇÕES

Não apenas as campanhas municipais deslancharão após as Olimpíadas. Número um da Confederação de Tênis de Mesa, Alaor Azevedo, está prestes a confirmar candidatura à presidência do COB. A eleição deverá ocorrer no final do ano e Carlos Arthur Nuzman já disse querer um novo mandato. 

 

ANTECEDÊNCIA

O estatuto da entidade exigiu que eventuais chapas fossem integralmente apresentadas até 30 de abril. Alaor entrou com ação na Justiça alegando que a antecedência de 6 meses inibia o surgimento de concorrentes. Obteve liminar na Justiça para o prazo de 30 dias e, enquanto aguarda a análise do mérito do processo, corre atrás dos indispensáveis votos.

 

Crônica

NOSSO MAIOR ATLETA

Gildo Sanches

       Neates tempos de Jogos Olímpicos, não há como esquecer aquele que para muitos foi o maior atleta que o Brasil já teve: Adhemar Ferreira da Silva.

       Nascido em São Paulocampeão olímpico e recordista mundial de salto triplo, foi o responsável pelo renascimento dessa modalidade esportiva.

Filho de ferroviário e lavadeira, ele não ficou rico com as conquistas e treinava apenas duas ou três vezes por semana, só na hora do almoço, pois trabalhava e estudava duro. Desde os 16 anos, fumava um maço de cigarros por dia, inclusive no tempo de suas maiores glórias, atitude impensável para os atuais atletas.

Adhemar começou a carreira atlética em sua cidade e interessou-se pelo salto triplo (1947) por influência de Ewald Gomes da Silva, atleta e dirigente são-paulino que mais tarde se tornou presidente da Federação Paulista e depois da Federação Brasileira de Atletismo.

Conquistou a primeira vitória aos vinte anos, logo após a estréia, quando alcançou a marca de 13,05m no salto triplo, numa evolução tão impressionante que levou o técnico alemão Dietrich Gerner a começar a falar em sucesso internacional e recorde mundial..

Foi duas vezes recordista sul-americano com 15,51m (1949) e 15,83m (1950), e bateu pela primeira vez o recorde mundial no estádio do Fluminense Futebol Clube, no Rio de Janeiro, com 16,01m (1951). Foi campeão pan-americano (1951) e campeão sul-americano (1952). Nas Olimpíadas de Helsinki, Finlândia (1952), conquistou a medalha de ouro ao bater o recorde olímpico e estabelecer duas novas marcas mundiais: 16,12m e 16,22m. Nos Jogos Pan-Americanos realizados no México (1955) obteve sua melhor marca: 16,56m, que permaneceu imbatível por cinco anos.

Conquistou mais uma medalha de ouro para o Brasil em Melbourne, Austrália (1956), ao estabelecer novo recorde olímpico, com 16,35m. Pentacampeão sul-americano e tricampeão pan-americano (1951,1955 e l959) e campeão luso-brasileiro, em Lisboa (l960), foi dez vezes campeão brasileiro, tendo mais de 40 títulos e troféus internacionais. Mesmo fracassando nos Jogos de Roma (1960), obteve o reconhecimento da torcida italiana, que o ovacionou dentro do estádio olímpico mesmo após a desclassificação.

Mais tarde, descobriu a causa do mau desempenho: estava com princípio de tuberculose. Praticamente um autodidata, revolucionou o salto triplo direcionando sua atenção para o segundo salto, até então apenas um impulso para o terceiro, e foi muito superior aos concorrentes durante anos. Escultor formado pela Escola Técnica Federal de São Paulo (1948), também se formou em Educação Física na Escola do Exército, Direito na Universidade do Brasil (1968) e Relações Públicas na Faculdade de Comunicação Social Casper Libero (1990).

Poliglota, foi Adido Cultural na Embaixada Brasileira em Lagos, Nigéria (1964-1967). Foi ator na peça Orfeu da Conceição (1956), de Vinicius de Moraes e no filme franco-italiano Orfeu do Carnaval (l962), que venceu o Oscar de melhor filme estrangeiro. Terminou a vida trabalhando para o Estado de São Paulo, organizando competições nacionais e internacionais de Atletismo. Recebeu (1993) o título de Herói de Helsinque, junto com Emil Zatopek. Foi agraciado pelo COB (2000), com o Mérito Olímpico. Sua última aparição pública foi na última edição da Maratona de São Silvestre, em São Paulo, na virada do ano, quando entregou os prêmios aos vencedores. Morreu vítima de parada cardiorrespiratória, em São Paulo e foi sepultado no Cemitério Chora Menino, da Zona Norte da capital paulista.

Evidentemente tivemos outros heróis olímpicos,porém, nenhum, apesar de suas qualidades, se assemelha a Adhemar Ferreira da Silva, com certeza.

 

Nenhum comentário: