terça-feira, 3 de maio de 2016

Foi-se a voz do futebol de Curitiba: Morreu o narrador esportivo da Rádio CBN da capital paranaense EDGARD FELIPE.


Crônica

Passou, passou, passou... É gol!!!

Gildo Sanches

       A mídia paranaense noticiou a  morte de Edgard Felipe, o mais famoso locutor esportivo do Paraná.

Edgard sempre foi apaixonado por rádio. Na década de 70 ele começou a trabalhar na Rádio Clube de São Manuel, e logo se dedicou ao aprendizado da função de operador de som. Mexia com todos os aparelhos que lhe surgiam pela frente e, na maioria das vezes, os consertava e os colocava para funcionar, quando pouca gente dava alguma coisa por eles.

       Outra coisa lhe despertava a atenção naqueles primeiros tempos: o futebol. E o pior de tudo é que ele pouco entendia desse esporte. Este cronista,  comentarista esportivo da emissora na época, lhe emprestou um livro sobre regras do futebol. Edgard decorou as regras todas, e passou a ser a fonte de consulta dos companheiros da Equipe Camisa 12, que tinha como narradores Beto Salles e Paschoal Martucci.

       Ele começou a fazer reportagens de campo, até que um dia surgiu a oportunidade de narrar uma partida do Campeonato Varzeano da cidade, no Estádio Municipal “Dr. Adhemar Pereira de Barros”. Embora um tanto nervoso, pois era sua primeira vez, ele se saiu bem. E não parou mais de fazer aquilo que gostava: narrar encontros esportivos.

       Buscando novos campos de trabalho, Edgard Felipe foi para Piracicaba, onde foi narrador esportivo da Rádio Difusora daquela cidade. Tempos depois, em Sorocaba, integrou a equipe de esportes da Rádio Cacique. Mas foi na Rádio Clube Paranaense, contando com o apoio do saudoso Lombardi Júnior, que ele se destacou de vez.

Curto e direto, Edgard não esconde que sua narração nos gols do Coritiba é mais vibrante, confirmando uma impressão da torcida Coxa-Branca em relação a esse aspecto. Segundo ele, de acordo com uma pesquisa que Lombardi Junior mandou fazer, 80% da torcida Coxa-Branca ficava ligada no radinho escutando as transmissões de Edgard. O maior rival, por exemplo, tinha apenas 20% de torcedores ligados nas transmissões. Por isso, é normal que as rádios cubram mais o Coritiba, por ser o time que mais oferece audiência.

Edgard Felipe fez cobertura de vários campeonatos brasileiros e de importantes campeonatos mundiais de futebol. O narrador esteve presente na cobertura de quatro Copas do Mundo e cinco Copas América e, de acordo com ele, a cobertura internacional mais importante da carreira foi a Copa do Mundo dos Estados Unidos, em 1994, quando narrou sua primeira copa e na final pôde soltar o grito de "Brasil, campeão do mundo". Essas coberturas internacionais o fizeram conhecer vários países da Europa e das Américas. 

O locutor, ao falar sobre seu estilo de narração, principalmente de seus gritos de gol (“passou, passou, passou, na rede, é gol, é gol, é gol! Gooooool!”), afirma que essa marca registrada surgiu em um jogo entre Coritiba e Guarani. “Quando Chicão chutou no gol de frente para a cabine, eu, em dúvida se havia ou não sido gol, fiquei “enrolando” na transmissão, dizendo que a bola passou, passou, passou... Pela linha de fundo... Ouvindo a narração, meu amigo Lombardi Junior comentou que, quando acontecesse um gol, seria legal se eu utilizasse esse grito. Foi então que surgiu essa nova marca nas minhas transmissões”, ressaltou  Edgard Felipe. 

Edgard era o principal narrador esportivo da Rádio CBN de Curitiba. Vítima de um AVC, ele faleceu no último dia 23 de abril. Nossa saudade e nossos sentimentos à família.